Comgás registra crescimento de 110% em conversões de veículos para GNV em 2016

Releases

A economia proporcionada pelo Gás Natural Veicular (GNV) frente aos combustíveis líquidos segue atraindo a atenção de motoristas. A Companhia de Gás de São Paulo (Comgás) registrou em 2016 um aumento de 110% no número de conversões de carros para o GNV frente aos dados de 2015.

Ao todo as conversões passaram de 3.527para 7.391. Somente no mês de dezembro, o número de conversões pulou de 444 em 2015 para 754, em 2016. Os números foram coletados em empresas de conversão de veículos na área de concessão da Comgás que atende a grande São Paulo, Baixada Santista, Vale do Paraíba e região administrativa de Campinas.

Das conversões no ano passado, 40% foram realizadas em carros de passeio, 32% em veículos vinculados ao aplicativo Uber, 23% em táxis e 5% em frotas.

“Em um cenário de crise econômica, os consumidores buscam alternativas para equilibrar o orçamento. E o GNV proporciona um rendimento muito maior por quilômetro rodado, com uma média de economia superou 50% ao longo de 2016”, explica o Gerente de GNV da Comgás, Ricardo Vallejo.

“Atualmente o usuário que percorre 60 km/dia ou 1.800 km/mês, consegue obter o retorno da conversão em 12 meses. Essa conta vem sendo feita cada vez mais pelos consumidores, que vêm percebendo as vantagens do GNV, com alta tecnologia, segurança e qualidade”, completa Vallejo.

GNV permanece competitivo
Mesmo com os anúncios de redução nos preços dos combustíveis líquidos, o GNV permanece competitivo, apresentando uma economia de 57%, em relação ao etanol e 53% em relação à gasolina, de acordo com cálculos da Comgás, considerando a média de preços em São Paulo conforme levantamento realizado pela Agencia Nacional do Petróleo, Gás Natural e Bicombustíveis (ANP) e a média de rendimento de cada combustível.

De acordo com o cálculo da Comgás, o custo médio do quilometro rodado com GNV chega a R$ 0,17 enquanto com a gasolina o valor pode chegar a R$ 0,36 e com o etanol a R$ 0,39. Isso significa que com R$ 30 o motorista consegue rodar 177 km (GNV), 84 km (gasolina), 77 km (etanol).