Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Navegar para Cima
Logon

 Possibilidades e Aplicações

Print



Um combustível versátil que pode ser usado em diversos equipamentos: caldeiras, secadores, fornos, turbinas, ramas, capotas (infrared), atomizadores, geradores de fluidos térmicos, gás, ar e água quente, estufas, empilhadeiras. Conheça a participação da Comgás nos setores industriais:​

 

Indústria Automobilística

O gás natural tem substancial participação na indústria automobilística, sendo utilizado na geração de calor e em processos como aquecimento de banhos e fluidos térmicos, fundição e secagem de pintura em estufas.

No processo da secagem de pintura, há ganho de qualidade no produto final, já que o gás natural é um energético limpo que não contamina as matérias-primas utilizadas nessa fase de produção, devido à quase inexistência de enxofre.

Atualmente, o gás natural é bastante utilizado na queima direta, proporcionando um produto final de melhor qualidade e com uso mais racional de energia. Além das vantagens técnicas, há facilidade na obtenção dos certificados de qualidade ambiental.​

Equipamentos

A indústria automobilística é intensiva no uso de energia, já que é uma grande consumidora de vapor/calor. Derivados de petróleo e eletricidade são fontes de energia tradicionalmente utilizadas. Nos últimos anos, o gás natural vem substituindo os derivados e até parte da eletricidade utilizada no aquecimento. O gás natural é utilizado nos principais equipamentos deste segmento: geradores de vapor (caldeiras), ar quente (estufas), aquecedores de fluido, fornos de fundição e incineradores.​

Alimentos e Bebidas

O gás natural participa de vários processos nas indústrias de alimentos e bebidas. A alta demanda de energia térmica desse segmento pode ser suprida através do uso do gás natural, muito utilizado na secagem, refino, cocção, torrefação, panificação, pasteurização, destilação e lavagem.

No processo de produção de alimentos, há ganho extraordinário na qualidade do produto final, pois o gás natural é um energético limpo que não contamina as matérias-primas. Na fabricação de bebidas, é indicado como agente para fervura ou pasteurização da cerveja, destilação e lavagem de garrafas, e como combustível de plantas de co-geração.​

Equipamentos

A indústria alimentícia é grande consumidora de vapor. Derivados de petróleo e eletricidade são fontes de energia tradicionalmente utilizadas. Nos últimos anos, o gás natural vem substituindo os derivados e até parte da eletricidade utilizada no aquecimento.

O gás natural é utilizado nos principais equipamentos deste segmento: fornos, caldeiras, estufas, secadores, autoclaves e sistemas de refrigeração.​

Alumínio

O gás natural tem importância fundamental no processo de produção de alumínio. Presente desde a fusão até o alívio de tensões, garante ganho na qualidade do produto final, pois é um energético limpo e não contamina as matérias-primas utilizadas nesta fase da produção. Na fase de acabamento, existe a possibilidade da combinação do uso de gás natural e eletricidade

Equipamentos​


O gás natural é utilizado nos principais equipamentos desta indústria: fornos de fusão, fornos de têmpera, fornos de refusão (reciclagem de alumínio). Seu uso é possível também em outros equipamentos, como estufas, geradores elétricos e até mesmo empilhadeiras.

Na indústria do alumínio, os fornos devem ser aquecidos a elevadas temperaturas. Os fornos de fusão e de tratamento térmico respondem por 70% do consumo de energia no processo de produção. Nos últimos anos, o gás natural vem substituindo os derivados de petróleo e parte da eletricidade utilizada no aquecimento.

Com o uso do gás natural, a produtividade dos fornos aumenta consideravelmente em relação ao uso de energia elétrica. O gás natural proporciona maior velocidade e homogeneidade no aquecimento: os produtos ficam menos tempo nos fornos e há redução significativa nos custo

Química

Na indústria química, o gás natural é utilizado para geração de vapor e em processos como fabricação de hidrogênio e aquecimento de fluido térmico. Além de aplicações convencionais para indústria química, o gás natural pode ser utilizado na co-geração de energia, devido à elevada quantidade de energia térmica e elétrica utilizada pelo setor.

Equipamentos​

O gás natural é utilizado nos principais equipamentos deste segmento: caldeiras, fornos e incineradores. A indústria química necessita de grande quantidade de vapor para fabricação de produtos intermediários ou finais. O gás natural pode substituir com vantagens os derivados de petróleo e parte da eletricidade utilizados no aquecimento.

Vidro

No processo de produção de vidro, o gás natural está presente desde a fusão até o alívio de tensões. Na fase de acabamento, quando são utilizados fornos de recozimento e acabamento, o gás natural proporciona maior economia, porque não necessita estocagem e elimina despesas com fretes e custos associados à área física de armazenagem.

Equipamentos


O gás natural é utilizado nos principais equipamentos desta indústria: forno de fusão, forno de têmpera, requeima e linha de choque térmico. Pode também ser aplicado em outros equipamentos, como estufas, geradores elétricos e empilhadeiras.

Os fornos de fusão e de tratamento térmico, destinados ao aquecimento, respondem por 70% do consumo de energia no processo de produção de vidro. Com o uso do gás natural, a vida útil e a produtividade dos fornos aumentam significativamente: o gás natural não contém contaminantes que atacam os refratários, o que reduz a necessidade de paradas para manutenção.

Em comparação com a energia elétrica, o uso do gás natural aumenta a produtividade dos fornos consideravelmente, já que há mais velocidade e homogeneidade no aquecimento. Isso faz com que o produto permaneça menos tempo no forno e os custos sejam reduzidos.​

Têxtil

Na indústria têxtil, o gás natural pode suprir cerca de 90% das necessidades energéticas para a produção de vapor e de água quente.

Utilizado nas caldeiras para o tingimento nas ramas (teares), o gás natural proporciona extraordinário ganho de eficiência na qualidade do produto final: como um energético limpo, não contamina as matérias-primas utilizadas nesta fase da produção.

O segmento têxtil exige temperatura e funcionamento contínuos. Para o processo de chamuscar o tecido, no qual os excessos de fios são queimados, é necessária uma chama regulada e de altura uniforme – qualidades fornecidas pelo gás natural.

Outros equipamentos e processos deste segmento requerem precisão de fornecimento, tais como calandras, ramas, e para impermeabilização, vinco permanente e fixação das fibras artificiais. O gás natural é muito utilizado também para gerar vapor para alimentação de instalações de sanfonização e lavagem a seco.

O setor têxtil tem sido pioneiro na utilização de sistemas de co-geração, devido às elevadas necessidades energéticas de seus processos. Os custos com energia podem chegar entre 6 a 8% dos custos totais. Este valor pode até exceder a 15% nos processos de tinturaria, acabamento e estamparia.​

Siderúrgica

Na indústria siderúrgica, o gás natural está presente em processos de obtenção do aço nas usinas integradas, coqueria, alto-forno, aciaria e laminação.

Na fase de acabamento, o gás natural é um energético muito mais econômico. Não necessita estocagem, o que elimina despesas com fretes e custos associados à área física de armazenagem. Além disso, oferece maior segurança: por ser mais leve que o ar, dissipa-se rapidamente em caso de vazamento.

Na fase de recuperação, reaquecimento e escarfagem de lingotes e tarugos, o gás natural também é muito utilizado e tem uma importância fundamental.

Equipamentos​


O gás natural é utilizado nos principais equipamentos deste segmento: forno de fusão, de têmpera, de reaquecimento, secadores, fornalhas e em caldeiras.

Os fornos de fusão e de tratamento térmico, destinados ao aquecimento, respondem por grande consumo de energia no processo de fabricação do aço. O gás natural proporciona mais velocidade e homogeneidade no aquecimento, diminuindo o tempo de permanência nos fornos e, conseqüentemente, os custos.

Com o uso do gás natural, a vida útil e a produtividade dos fornos de fusão e tratamento térmico também aumentam significativamente. O gás natural não contém contaminantes que atacam os refratários do forno, o que reduz a necessidade de paradas para manutenção

Borracha

Na indústria de borracha, o gás natural é utilizado para geração de vapor, transformação da borracha através de vulcanização e variados tipos de aquecimentos e outros processos.

Além de aplicações convencionais para a indústria, pode ser usado para co-geração, já que este é um setor que necessita de elevada quantidade de energia térmica e elétrica.

Equipamentos


O gás natural é utilizado nos principais equipamentos deste segmento: fornos, caldeiras, estufas, mas pode também estar presente em outros equipamentos. Com o uso do gás natural, há ganho de manutenção de peças, tempo e homens-hora.​

Metalúrgica

No segmento metalúrgico, o gás natural está presente em todos os processos, desde a fundição até o alívio de tensões e tratamentos termoquímicos.

Na fase de acabamento, em que são utilizados fornos de recozimento e acabamento, há a possibilidade do uso de dois combustíveis: gás natural e GLP. O gás natural é um energético muito mais econômico: por não necessitar de estocagem, elimina despesas com fretes e custos associados à área física de armazenagem, além de oferecer mais segurança. Por ser mais leve que o ar, dissipa-se rapidamente em casos de vazamentos

Equipamentos​


Na indústria metalúrgica, os fornos devem ser aquecidos a elevadas temperaturas, e há muita necessidade da utilização de vapor. Nos últimos anos, o gás natural vem substituindo os derivados de petróleo e energia elétrica em fornos de tratamento térmico, fornos de fusão, geradores de atmosfera, estufas de secagem de machos, shell molding, secadores de areia, caldeiras e estufas.

Com o uso do gás natural, a vida útil dos fornos aumenta significativamente, já que o gás natural não tem contaminantes que poderiam atacar os refratários do forno.

Nas caldeiras, a substituição do óleo combustível por gás natural traz ainda vantagens adicionais decorrentes de aspectos operacionais e da diminuição de manutenção do equipamento.

Cerâmica

O gás natural tem importância fundamental na fabricação de pisos e revestimentos cerâmicos. Está presente em todas as fases do processo, desde a secagem da matéria-prima até a queima do esmalte. O gás natural proporciona um ganho extraordinário na qualidade do produto final. Além de ser um energético mais econômico, não necessita estocagem, reduz custos de manutenção e oferece mais segurança.

Equipamentos

O gás natural é utilizado nos principais equipamentos da indústria cerâmica, tais como: secadores de argila, atomizadores, secadores de biscoito (piso já prensado) e fornos.

Com o uso do gás natural, a vida útil dos equipamentos aumenta significativamente, já que não existem contaminantes que poderiam atacar os refratários e partes metálicas, o que reduz o tempo de paradas para manutenção.​

1 - 10 Próximo
2017 | Comgás | Todos os direitos reservados